Projetos-âncora para investimentos em SC


Transporte

Investimentos previstos: R$ 1,7 bilhão

Empregos que poderão ser gerados: 28 mil

Projetos Estruturantes

Ferrovia Transcatarinense

Descrição: Construção e operação de uma ferrovia destinada ao transporte de carga, principalmente entre o Centro e o Oeste do Estado e os portos.

Entidades responsáveis: Governo do Estado.

Tipo de investimento: A decidir.

Benefícios para o investidor: Uma nova ferrovia que vai oferecer condições interessantes de operação. Pode ser construída como projeto privado, público ou misto, dependendo do resultado de um estudo de viabilidade econômica.

Benefícios para a economia catarinense: Grande potencial para promover o crescimento econômico e a melhoria das condições sociais no interior do Estado, com impacto nos setores de aves, suínos, madeira reflorestada e seus derivados.

Valor aproximado: Acima de R$ 1 bilhão.

Financiamento: A definir.

Cronograma: A definir.

Porto de Itapoá – Terminal marítimo e retroporto

Descrição: Construção de um novo porto na Baía Babitonga, no lado oposto ao Porto de São Francisco do Sul, direcionado ao movimento de contêineres. Potencial para retroporto industrial.

Entidades responsáveis: Empreendedor: Itapoá Terminais Portuários Ltda; subsidiária da Battistella Administrações e Participação Ltda. (Brasil). Autorização: Marinha e Governo do Estado.

Tipo de investimento: Projeto a ser desenvolvido pela iniciativa privada, liderada pelo Grupo Battistella, aberto à participação de novos sócios.

Benefícios para o investidor: Participar do empreendimento que será o terceiro porto privado do Sul do Brasil; desenvolver atividade econômica em um setor com grande potencial de expansão, com perspectivas para o desenvolvimento de outras áreas de atividade.

Benefícios para a economia catarinense: Aumento de eficiência e competitividade no setor portuário, com impactos positivos para os demais modais de transportes e outros setores da economia; criação de um novo polo de desenvolvimento econômico com potencial para atrair novos investimentos; criação de empregos diretos e indiretos; aumento da receita fiscal.

Valor aproximado: R$ 450 milhões.

Financiamento: Em negociação com o BID.

Cronograma: A definir.

Expansão do Porto de São Francisco do Sul

Descrição: Desenvolvimento de projetos visando à expansão do principal porto do Estado.

Entidades responsáveis: Administração do Porto de São Francisco do Sul, entidade subordinada ao Governo do Estado.

Tipo de investimento: Aberto a empreendedores da iniciativa privada mediante processos de concessões, atividades portuárias, contratos de áreas para execução de obras, fabricação e comercialização de equipamentos.

Benefícios para o investidor: Participar em projetos potencialmente rentáveis; oferecer serviços portuários para uma economia regional com forte vocação exportadora; operar num porto com tradição de qualidade de serviço.

Benefícios para a economia catarinense: Melhorar os serviços portuários em quantidade e qualidade; aumentar receitas fiscais; estimular a competitividade nas operações portuárias, segmento chave da economia regional; desenvolver um importante complexo portuário na Baía Babitonga, com reflexo no futuro da economia da região.

Valor aproximado: R$ 115,5 milhões para expansão da capacidade de contêineres e carga geral (sem considerar outros investimentos).

Financiamento: A definir. Para mais informações, contato com a Administração do Porto de São Francisco do Sul: porto@apsfs.gov.br.

Cronograma: Variável conforme o projeto.

Projetos relacionados

Ferrovias Litorânea e Bioceânica; Aeroportos de Navegantes, de Joinville, de Chapecó e de Florianópolis; Portos de Itajaí (modernização) e de Imbituba; Transporte Marítimo Urbano (Florianópolis).

Reflorestamento e Agronegócio

Investimentos previstos: R$ 8,6 bilhões

Empregos que poderão ser gerados: 139 mil

Projeto Estruturante

Refloresc

Descrição: Reflorestamento de um milhão de hectares com espécies do gênero Pinus em regiões apropriadas do território catarinense, visando a eliminar o déficit de madeira para uso industrial.

Entidades responsáveis: Governo do Estado; Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina S.A. (Epagri); cooperativas de produtores rurais.

Tipo de investimento: Associação e parcerias entre empresas e investidores privados, produtores e cooperativas rurais e entidades públicas de pesquisa agroflorestal.

Benefícios para o investidor: Participar do setor florestal em uma das regiões mais competitivas do mundo (solo, clima, mão de obra e infraestrutura adequados); facilidade de acesso aos mercados nacional e internacional; proximidade das indústrias de base florestal; não recolhimento de ICMS nas atividades voltadas para exportação (ZPE); e facilidades para expansão das áreas plantadas.

Benefícios para a economia catarinense: Ampliação da renda, dos empregos e da arrecadação dos impostos para os governos estadual e municipais; fixação do proprietário rural e de suas famílias no campo; uso de terras inaptas à agricultura; segurança no fornecimento de matéria-prima, com ampliação da cadeia produtiva madeireira; preservação do meio ambiente.

Valor aproximado: Até R$ 1,5 bilhão, ao longo de 20 anos.

Financiamento: Postergação do recolhimento do ICMS por 20 anos. Linhas de crédito do BNDES voltadas ao financiamento da silvicultura e de equipamentos, além de novas modalidades de crédito em discussão.

Cronograma: Implantação imediata. Reflorestar 50 mil hectares anuais, ao longo de 20 anos.

Projetos relacionados

Indústria de painéis reconstituídos; madeira sustentável (indústria moveleira e de papel e celulose); beneficiamento de maçã; desidratação de cebola; leite e laticínios; silos e armazéns; agricultura orgânica; vitivinicultura (uva e vinho); pesca e maricultura.

Energia

Investimentos previstos: R$ 15 bilhões

Empregos que poderão ser gerados: 81 mil

Projeto Estruturante

Gasoduto Transcatarinense

Descrição: Construção de um gasoduto com 650 km, 32 polegadas, capacidade para 30 milhões de m3/dia, ligando o Oeste de Santa Catarina à região de Joinville, para formar importante elo estratégico na rede brasileira de gasodutos.

Entidades responsáveis: Empreendedores: grupo em formação. Autorização: Agência Nacional do Petróleo.

Tipo de investimento: Projeto a ser desenvolvido pela iniciativa privada. Aberto à participação de novos sócios, está em discussão entre empresas do setor.

Benefícios para o investidor: Participar de um projeto potencialmente rentável; conquistar posição estratégica no setor.

Benefícios para a economia catarinense: Forte estímulo ao desenvolvimento econômico e social no interior de Santa Catarina; fator de competitividade para segmentos industriais importantes; aumento da segurança energética no Estado.

Valor aproximado: R$ 1,25 bilhão.

Financiamento: Privado.

Projetos relacionados

Gasoduto da Integração (Gasin), Termelétricas a gás natural (Termocatarinense Norte II, Ilha de Santa Catarina, Grande Florianópolis, Meio-Oeste, Planalto Serrano, Planalto Norte), Co-Geração Gás Natural (Florianópolis), Termelétrica Biomassa (Planalto Norte), Polo de Gás Natural Líquido, Termocatarinense Sul (carvão), Termelétricas a biomassa, Pequenas Centrais Elétricas (PCHs).

Turismo e outros projetos

Investimentos previstos: R$ 84 milhões

Empregos que poderão ser gerados: 1,4 mil

Projeto Estruturante

Gasoduto Transcatarinense

Projetos relacionados (benefícios para a atividade turística)

Estrada de Ferro Santa Catarina; Terminal Turístico da Ilha de Santa Catarina; Terminal de Cruzeiros Marítimos (Porto Belo); marinas; uso múltiplo do lago da Usina de Itá; turismo ecológico, étnico, de terceira idade, rural e de inverno; polo vidreiro.