Regiões

Litoral

A costa litorânea, com cerca de 560 km de extensão, é um paraíso para quem busca belas praias e o contato com a natureza. Essa região, colonizada por açorianos no século XVIII, tem um relevo recortado, com baías, enseadas, manguezais, lagunas e mais de 500 praias. É, ainda, uma das mais importantes áreas de biodiversidade marinha do Brasil. As principais cidades são Florianópolis, São José, Laguna, Imbituba, Itajaí, Balneário Camboriú e São Francisco do Sul. A pesca e o turismo são atividades econômicas marcantes.

Florianópolis, capital e centro administrativo do Estado, é uma cidade privilegiada: tem grande parte de seu território, de 536 km2, situado em uma ilha (524 km2). Três pontes ligam a parte insular à porção continental. É a capital brasileira que oferece melhor qualidade de vida. Seus 400 mil habitantes convivem com o ritmo ágil de um centro urbano cosmopolita e com a tranquilidade dos vilarejos construídos pelos colonizadores açorianos. As 100 praias da cidade, em sua maior parte, são próprias para banho.

Norte

Com forte tradição europeia (principalmente germânica), o Norte do Estado concilia uma economia dinâmica com o respeito à natureza exuberante. Nessa região, rica em florestas nativas e provenientes de reflorestamento, concentra-se o polo florestal catarinense – o mais expressivo da América Latina, abrangendo indústrias madeireiras, moveleiras, de papel e papelão. As densas florestas da Serra do Mar e as águas da Baía Babitonga também dividem espaço com indústrias do ramo eletrometalomecânico. Suas principais cidades são Joinville (a maior de Santa Catarina, com 490 mil habitantes), Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Rio Negrinho, Canoinhas e Mafra.

Vale do Itajaí

Um “pedacinho da Alemanha” encravado em Santa Catarina. Assim é o Vale do Itajaí, situado entre a capital e o Norte do Estado. A herança dos pioneiros germânicos deixou marcas na arquitetura em estilo enxaimel, na culinária e nas festas típicas, nos jardins bem cuidados e na força da indústria têxtil. A paisagem de montanhas, vales, rios, cachoeiras e florestas é propícia para a prática do ecoturismo. Os principais municípios são Blumenau, Gaspar, Pomerode, Indaial, Brusque e Rio do Sul.

Serra

O frio e o turismo rural são os grandes atrativos desta região, que tem como atividades econômicas a pecuária e a indústria florestal. Por conta das paisagens bucólicas e da neve que se precipita em algumas cidades, a Serra recebe milhares de visitantes no inverno. Os principais municípios são Lages, São Joaquim, Urubici e Bom Jardim da Serra.

Sul

O jeito simples de viver dos descendentes de imigrantes italianos é uma característica marcante da região. Quem a visita pode conhecer de perto as vinícolas e apreciar a cultura italiana em festas típicas. Extrativismo mineral e indústria cerâmica são as principais atividades econômicas. O Sul do Estado tem estações termais e cânions ricos em biodiversidade. Suas principais cidades são Criciúma, Tubarão, Araranguá, Som-brio, Içara, Gravatal e Urussanga.

Meio-Oeste

Nesta região de morros ondulados localizada no centro do Estado situam-se comunidades de pequeno e médio porte colonizadas por imigrantes italianos, alemães, austríacos e japoneses. Sua atividade econômica está baseada na agroindústria, criação de bovinos e produção de maçã. Também há indústrias expressivas do polo metalomecânico. As principais cidades são Joaçaba, Videira, Caçador, Treze Tílias, Curitibanos, Fraiburgo, Campos Novos e Concórdia.

Oeste

Os campos do Oeste são o “celeiro” de Santa Catarina, de onde sai boa parte da produção brasileira de grãos, aves e suínos. Frigoríficos de grande e médio porte estão associados aos produtores rurais em um modelo bem-sucedido de integração: as empresas fornecem insumos e tecnologia e compram a produção. A região também começa a explorar o potencial turístico de suas fontes termais. Os principais municípios são Chapecó, Xanxerê, São Miguel do Oeste e Dionísio Cerqueira.